Bolsonaro, o da “liberdade sem oxigênio”, chama manifesto de “cartinha”

Continue lendo no Reinaldo Azevedo.