Só no orçamento de 2022, pagamentos pendentes deixados até agora pelas emendas de relator são o triplo do investimento federal em saúde e educação – e parte dessa conta ficará para o ano que vem

Desde 2020, o governo de Jair Bolsonaro usa o orçamento secreto, também chamado de emenda do relator (RP9), para garantir apoio no Congresso. O valor dos pagamentos deixados pelas emendas do relator é maior que muitas cotas de investimentos do governo federal para 2022. Os R$ 34,3 bilhões de pagamentos pendentes equivalem a três vezes o valor disponível para investimentos no Ministério da Saúde e Educação juntos, já que as pastas poderão gastar R$ 10,4 bilhões no ano corrente. 

Ao longo desses três anos, o valor acumulado de emendas prometidas que ainda não foram pagas chegam a 58,2 bilhões de reais. A conta vai cair no colo do próximo governo, independentemente de quem vença as eleições. Com essa dinheirama seria possível comprar doze vezes o montante de vacinas da Pfizer e da Astrazeneca contra a Covid comprados em 2021.

Veja mais no =igualdades desta semana, que compila os números da

Continue lendo na Revista Piauí.