Sergio Moro: a patética trajetória política do nosso herói trapalhão

Ilustração: Rodrigo Bento/The Intercept Brasil

A trajetória de Moro na política talvez seja uma das histórias mais tristes e patéticas da história da República. Começou nos tribunais, onde foi um tigrão com potenciais adversários políticos e um tchutchuco com aqueles que viriam a ser seus aliados.

Impulsionado pelos afagos e holofotes da grande imprensa lavajatista, Moro encarnou o personagem desenhado para ele: o herói nacional que atacava o “sistema”, o salvador da pátria que combatia os mal feitores da política. Foi na esteira das suas ações nos tribunais que pavimentou a estrada por onde passaria a motociata do fascismo rumo ao Planalto.

Moro resolveu segui-la e se tornou um dos principais ministros do governo Bolsonaro. Até aí tudo estava dando certo, até que rompeu com o chefe. Mas o rompimento não se deu por divergências ideológicas, mas por disputa de

Continue lendo no The Intercept.