Servidores acusam Paulo Guedes de enquadrar IBGE e Ipea em ano eleitoral

As associações dos servidores do IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, e do Ipea, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, acusam o Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, de publicar uma portaria para tentar enquadrar e fazer uso político das duas instituições às vésperas da eleição.

A Afipea e a Assibge, que têm status de sindicato, elaboraram uma nota em que reclamam da alteração de competência de IBGE e IPEA.

A portaria que determinou a mudança foi publicada na mesma semana em que um estudo do Ipea mostrou o aumento da presença de militares em cargos e funções de nomeação política no governo Bolsonaro. Inclusive no Ministério da Economia, onde atualmente há 84 militares em cargos de confiança – ante 15 em 2018 e apenas um em 2013.

A portaria mudou a supervisão e coordenação desses órgãos da Secretaria Especial do Tesouro e Orçamento para o assessor especial de

Continue lendo no The Intercept.