Pessoas que seriam salvas por transplantes negados pela família de possíveis doadores lotariam Teatro Municipal do Rio

No ano passado, das 6.362 pessoas aptas à doação de órgãos, ou seja, que tiveram morte cerebral confirmada, 2.642 tiveram a doação negada por familiares, segundo dados da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos. Ou seja, 42% dos pacientes que estariam aptos para doar seus órgãos tiveram o transplante negado.

A falta de informação da população sobre a doação de órgãos, a insatisfação na assistência hospitalar e a dificuldade de compreensão referente à morte encefálica são algumas das causas para o alto percentual de recusa.

A confirmação ou recusa só pode ser realizada por parentes de primeiro ou segundo grau ou cônjuges. Por isso é fundamental anunciar em vida aos familiares que se tem o interesse de fazer a doação. Cada pessoa pode salvar até oito vidas a partir desse ato.

O post Pessoas que seriam salvas por transplantes negados pela família de possíveis doadores lotariam Teatro Municipal do

Continue lendo na Revista Piauí.