Ministério da Saúde incentiva violência obstétrica em lançamento da nova Caderneta da Gestante

O secretário de Atenção Primária do Ministério da Saúde, Raphael Câmara, durante lançamento da nova Caderneta da Gestante.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministério da Saúde, na figura do secretário de Atenção à Saúde Primária Raphael Câmara, anunciou na última semana o lançamento da sexta edição da Caderneta da Gestante. Serão distribuídos mais de três milhões de exemplares pelo SUS, todos com o preocupante estímulo a uma prática violenta e ultrapassada: a episiotomia, corte feito na vagina durante o parto para facilitar o trabalho do médico. Em 2018, a Organização Mundial da Saúde reconheceu que não há qualquer evidência científica que apoie a realização do corte na vagina durante o parto, feito para facilitar o trabalho do médico.

O documento ainda espalha desinformação ao afirmar que a amamentação exclusiva funciona como método de prevenir uma nova gravidez nos primeiros

Continue lendo no The Intercept.