Os detalhes da ameaça

Este texto foi publicado originalmente na newsletter do Intercept. Assine. É de graça, todos os sábados, na sua caixa de e-mails.

Como muitos de vocês devem ter visto, eu fui perseguido e ameaçado por um cidadão em Balneário Camboriú. Faço abaixo um breve relato.

No dia 9 de janeiro, começo da tarde, eu, minha esposa e meu filho fomos até uma mercearia comprar velas para comemorar um aniversário. Chegando ao local notamos que estávamos sem cartão de crédito. Deixamos as compras para trás e voltamos para casa para buscar o cartão.

Ao sair de lá, caminhamos por cerca de meia quadra até um cruzamento. Atravessamos a rua. Neste instante, uma pessoa chegou pelas nossas costas – ela nos seguiu desde a mercearia, saberíamos depois –, colocou a mão no meu ombro e me disse para eu “me ligar” porque “a vida do teu filho depende

Continue lendo no The Intercept.