TRF-2 proíbe Bretas de decidir caso de lavagem de dinheiro

A juíza federal Simone Schreiber, do TRF-2, proibiu o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, de decidir em uma ação penal envolvendo a Fundação Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro.

De acordo com a magistrada, Bretas não deve dar uma sentença no caso até que o TRF-2 decida sobre um habeas corpus ajuizado pelos réus do processo.

Formulário de cadastro Poder360 todos os dias no seu e-mail concordo com os termos da LGPD.

O caso envolve um suposto esquema de pagamento de propina em troca do direcionamento ilícito de contratos de obras fiscalizadas pela Funderj (Fundação Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro).

Os acusados entraram com o habeas corpus no TRF-2 afirmando que a Justiça Federal é incompetente para julgar a ação. Assim,


Continue lendo no Poder 360.