No Pará, cobertura vacinal em Belém é 7 vezes a de São Félix do Xingu

Em pronunciamento no fim do ano passado, o  diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, afirmou que as baixas taxas de vacinação em alguns países criaram as “condições perfeitas” para o surgimento de novas variantes e que a desigualdade na cobertura vacinal foi uma das “grandes falhas ocorridas no passado”. O desequilíbrio na distribuição de vacinas observado entre países se repete entre regiões do mesmo país e até dentro de um mesmo estado. Até dezembro de 2021, apenas 11% da população de São Félix do Xingu, no sul do Pará, completou o esquema vacinal, segundo dados da prefeitura. Já Belém, capital do mesmo estado, tinha 73% dos habitantes totalmente imunizados. 

 

No município do interior, a prefeitura identificou uma ampla recusa da população em relação à vacina. A equipe tentou de tudo: sorteou um celular novo para quem completasse o esquema vacinal, promoveu competições entre equipes de vacinadores,

Continue lendo na Revista Piauí.