Hospital de uma pessoa só

A indígena kaingang Indiamara Morais Veloso, de 41 anos, nasceu e cresceu na Reserva Indígena Mangueirinha, no interior do Paraná. Aos 18, se mudou para Curitiba, onde realizou o sonho de cursar técnica de enfermagem. Em 2009, passou a morar na recém-criada Kakané Porã, primeira aldeia indígena urbana do Sul do Brasil, localizada no perímetro urbano de Curitiba. Embora ainda não tenha conseguido um emprego em sua área de formação, Veloso tem posto seus conhecimentos em prática num novo projeto de telemedicina do Pequeno Príncipe, o maior hospital pediátrico do Brasil. Na aldeia onde vive, Veloso se tornou o ponto de contato entre as médicas do hospital e as mães da comunidade. Ela opera os aparelhos e câmeras do TytyoCare, kit tecnológico portátil que permite a realização de exames físicos à distância, e ajuda na comunicação entre as médicas e os pacientes.

Em depoimento a Plínio Lopes

 

Nasci na

Continue lendo na Revista Piauí.