Reprise eleitoral em São Paulo

PT e PSDB se preparam para reviver a polarização que marcou a política nacional desde a redemocratização, desta vez em São Paulo. Os dois partidos veem um no outro o principal adversário na disputa pelo governo paulista este ano. Ambos têm a necessidade de driblar a rejeição de seus principais cabos eleitorais e apostam na hipótese de que a população está cansada da estridência política atual.

No PSDB, o vice-governador Rodrigo Garcia tem diluído a participação do governador João Doria em suas aparições públicas. O objetivo é passar a imagem de um gestor experiente e moderno, sem as afetações de marketing que tornaram Doria conhecido, nem o ranço paroquial de seu padrinho anterior, o ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido). No PT, enquanto isso, a fama de moderado do ex-prefeito Fernando Haddad, descrito como o mais tucano dos petistas, é vista como um ativo para a conquista de eleitores em São

Continue lendo na Revista Piauí.