O cometa por trás do arco-íris

“Chegou-se a um final feliz” em 2021, escreveu Carlos Helí de Almeida ao fazer uma retrospectiva do ano para o Segundo Caderno do jornal O Globo, no dia 28 de dezembro. Chocado com o disparate, foi difícil resistir ao impulso de atear fogo às vestes.

Mesmo em avaliação circunscrita ao cinema, não há justificativa plausível para crer no que os versos da famosa canção professam em O Mágico de Oz (1939), na voz de Judy Garland: “Somewhere over the rainbow, way up high/There’s a land that I heard of once in a lullaby/Somewhere over the rainbow, skies are blue,/And the dreams that you dare to dream, really do come true…”

Cena do filme ‘O Mágico de Oz’ – Foto: Reprodução

 

Os sonhos de quem faz cinema no Brasil não têm se tornado realidade há um bom tempo, quanto mais os de brasileiras e

Continue lendo na Revista Piauí.