O desconforto de Bolsonaro

Pouco antes de se sentir mal em decorrência de uma obstrução intestinal, o presidente Jair Bolsonaro teve uma agenda movimentada. Às 7h30 da manhã do domingo, 2 de janeiro, recebeu um grupo de convidados no Forte Marechal Luz, onde estava hospedado de férias em São Francisco do Sul (SC). Mais informal que os demais, Bolsonaro vestia sandália, bermuda e uma camisa do time de futebol Londrina – que estampa o patrocínio da Caixa Econômica Federal. Não serviu nada, além de um café preto, que ninguém tomou.

Por mais de uma hora, Bolsonaro contou e ouviu casos de um ex-combatente brasileiro na Segunda Guerra Mundial, o sargento Hugo Felisbino, hoje com 102 anos, que estava acompanhado de sua mulher, nonagenária. “Com certeza ele só não morreu [na guerra] porque tinha alguém que o esperava no Brasil”, brincou o presidente, rindo e abraçando a senhora.

No mesmo encontro, Bolsonaro recebeu da mão

Continue lendo na Revista Piauí.