Venha, 2022! Haveremos de esconjurar os arautos da morte e do caos. Até lá!

Continue lendo no Reinaldo Azevedo.