A máquina mortífera de bestializar brasileiros parte 1

Estamos vivendo um período de simulações quantitativas, como poesia concreta. Há gráficos que parecem dizer algo. Ou não. Agora, seria mais útil neste momento a aplicação do método dos “peles vermelhas” de filme de bang-bang

Veja mais de Luiz Lanzetta

Continue lendo no Os Divergentes.