Nervos à flor da pele nas redações por conta das demissões e da carga de trabalho

Foto: Freepik

A imprensa do Brasil vive um dos seus melhores momentos de relevância para o leitor na cobertura da disputa política, da crise sanitária provocada pela pandemia da Covid-19 e de outros rolos diários. Mas o que o leitor não sabe é que a qualidade dos conteúdos se deve ao empenho pessoal de repórteres, editores, colunistas e outros profissionais nas redações. Por quê? Nos dias de hoje, nas redações, falta de tudo um pouco: repórteres, dinheiro para investir na apuração de reportagens investigativas e equipamentos. Seja um repórter experiente com nome consagrado no mercado de trabalho. Ou um jovem talentoso que recém começou na carreira. Nenhum deles têm certeza de que o seu emprego estará lá no dia seguinte. Mesmo nos tempos de dinheiro abundante sempre faltava alguma coisa

Continue lendo no Observatório da Imprensa.