A frase criminosa de José Carlos Bernardi

Foto: Reprodução/Jovem Pan

Pior momento não haveria: eu continuava a leitura do livro de memórias do centenário sociólogo ainda vivo Edgar Nahoum, 700 páginas de quase um quilo. Um sinal do WhatsApp me chamou a atenção para a entrada de alguma nova informação no grupo Panorama, criado há algum tempo pelo colega jornalista Carlos Brickman, do qual fazem parte principalmente jornalistas, de direita, centro e esquerda, como eu.

Edgar Nahoum, quem é ligado em sociologia já percebeu, é mais conhecido como Edgar Morin, nome usado quando fazia parte da Resistência dos franceses à ocupação da França pelos nazistas de Hitler. Seu livro, “As lembranças vêm ao meu encontro”, não é um livro de sociologia, mas o relato do seu percurso desde sua juventude como estudante em Paris, suas opções políticas,

Continue lendo no Observatório da Imprensa.