Empresa dos EUA fez experimentos de risco na China com vírus da síndrome respiratória do Oriente Médio na China

Documentos divulgados no final de outubro pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, NIH na sigla em inglês, levantam novas questões sobre pesquisas de vírus financiadas pelo governo norte-americano e realizadas na China. Os relatórios anuais da EcoHealth Alliance, que o NIH enviou ao Intercept em resposta a uma ação judicial, forneceram evidências adicionais de que a entidade americana — que estuda doenças infecciosas nascentes — e sua parceira, o Instituto de Virologia de Wuhan, estavam envolvidos em experiências arriscadas e que o NIH pode não ter tido pleno conhecimento dessas atividades.

Em setembro, o Intercept recebeu duas propostas de subsídios que da EcoHealth Alliance que foram apresentadas ao NIH. Uma delas, “Understanding the Risk of Bat Coronavirus Emergence”(Entendendo o Risco da Emergência do Coronavírus de Morcego), detalhou pesquisas preocupantes e potencialmente perigosas conduzidas com coronavírus de morcego conduzidas em Wuhan, na China. Mas a primeira liberação dos documentos, que

Continue lendo no The Intercept.