Esta é a lista secreta de grupos e pessoas ‘perigosas’ do Facebook

Há pelo menos uma década, para evitar acusações de que ajudava terroristas a espalhar propaganda, o Facebook tem impedido os usuários de falar livremente sobre pessoas e grupos que diz promoverem a violência.

As restrições aparentemente remontam ao final de 2012, quando diante do crescente alarme no Congresso e nas Nações Unidas sobre o recrutamento online de terroristas, o Facebook acrescentou a suas Normas da Comunidade uma proibição de “organizações com um histórico de atividade terrorista ou criminosa violenta”. Essa humilde regra, desde então, transformou-se no que é conhecida como a política de Indivíduos e Organizações Perigosas, ou IOP, um conjunto de restrições generalizadas sobre o que os quase 3 bilhões de usuários do Facebook podem dizer sobre uma lista enorme e sempre crescente de entidades cuja atuação é vista como tendo ultrapassado os limites.

Nos últimos anos, a política tem sido usada em um ritmo

Continue lendo no The Intercept.