O amigo adolescente de Borges

“Parece-me muito feliz o projeto de que todos aqueles que o conheceram escrevam sobre ele.”

window.uolads && window.uolads.push({ id: “banner-300×250-area” });

J.L. Borges em “Funes, o memorioso”, conto do livro Ficções (1944)

 

O destino, por vezes, nos presenteia com pessoas extraordinárias. Elas nos modificam para melhor; reacendem ideais que supúnhamos perdidos para sempre; enriquecem o difícil ofício de viver. Em dias como os que temos passado nos últimos tempos – marcados pelo desprezo ao bem comum, pelos discursos ignorantes ou espantosamente caracterizados pelo ódio –, talvez seja importante alargar o conhecimento público de uma figura excepcional, que honrou a Universidade de São Paulo e o Brasil. Um ser humano na mais legítima acepção do termo, sinônimo de civilidade e, se não bastasse: humilde e generoso.

Trata-se de Gregorio (Goyo) Santiago Montes, que foi professor do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP. Nascido

Continue lendo na Revista Piauí.