Negar absorvente a mulheres pobres faz da perversidade uma política pública

Continue lendo no Josias de Souza.