A canetada nos Canais da Cidadania e a sustentabilidade do jornalismo local

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

A suspensão autoritária de garantias legais ao funcionamento de canais noticiosos municipais e independentes mostrou o desprezo do governo Bolsonaro pelo jornalismo local independente, o segmento informativo apontado na Europa e Estados Unidos como essencial para a busca de um novo modelo de sustentabilidade econômica da atividade informativa.

Há dias, o Ministério das Comunicações suspendeu, via canetada, a vigência de dispositivos legais regulando os chamados Canais da Cidadania, um projeto de criação de sistemas locais e regionais de televisão aberta criado em 2012 e que foi adotado por cerca de 300 municípios brasileiros. A decisão, segundo a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), é um retrocesso porque vai dificultar enormemente o acesso à informação pelos moradores de comunidades urbanas e rurais.

A valorização da informação focada em questões

Continue lendo no Observatório da Imprensa.