Na política ou onde quisermos estar, respeite a voz das mulheres

Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

“A senhora está totalmente descontrolada!”. Esta frase que repercutiu, nos últimos dias, devido ao depoimento do ministro da Controladoria Geral da União (CGU), Wagner Rosário, à CPI da Covid, infelizmente, é ouvida, de modo corriqueiro, por muitas mulheres. Sob a aparência de uma racionalidade e controle necessários para uma argumentação “civilizada”, o que esta frase e suas variações escondem é, de fato, a intenção de deslegitimar os questionamentos das mulheres. Isso porque nos consideram “emocionais demais” e, consequentemente, inferiores para práticas de liderança, quer no ambiente doméstico ou em espaços públicos.

Além de uma explícita demonstração de machismo e de negação às mulheres do direito de fala e ocupação de lugares de decisão, quando essa expressão é usada na arena parlamentar, ganha uma nomenclatura

Continue lendo no Observatório da Imprensa.