Os valentões bolsonários do bizarro ‘Clube Sem Opinião’

Júlio Ribeiro, o presidente, e Políbio Braga, o blogueiro: as estrelas bolsonárias mais estridentes do clube. (Imagens: Revistapress; Reprodução)

O vírus da estupidez que caracteriza a Era Bolsonaro, com sua miríade de truculências, desmandos e patifarias que reduziram a política e envergonham Brasil aqui e lá fora, contaminou mortalmente um setor que deveria estar acima da mediocridade galopante do capitão e sua manada: o jornalismo.
O exemplo mais dramático disso está expresso no destemido Clube de Opinião de Porto Alegre, RS, uma aguerrida tertúlia do Sul que se declara como uma entidade que há 18 anos luta em favor das liberdades e contra as ações que acuam a liberdade de imprensa, “sem distinção em relação à origem ideológica que ela assume”.

O tal clube adentrou o aziago mês de agosto com sua típica valentia.

Continue lendo no Observatório da Imprensa.