Manifesto hesitante da Fiesp acabou em mico

Foto: Luis Ushirobira/Valor

O manifesto intitulado “A Praça é dos Três Poderes”, publicado pela Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) nos jornais desta sexta-feira, decepcionou algumas das entidades que o subscreveram, segundo diversas fontes ouvidas pelo Valor.

Elas consideraram texto “anódino” e “protocolar”, principalmente porque omitiu o recuo do presidente Jair Bolsonaro com relação aos ataques desferidos por ele contra o Supremo Tribunal Federal (STF), em especial contra o ministro Alexandre de Moraes.

Além disso, o manifesto foi publicado sem assinatura da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), fato que contribuiu para o seu enfraquecimento e menor repercussão no mercado financeiro.

Havia expectativa de que o texto fosse mais objetivo e direto em solicitar ao chefe do Poder Executivo uma postura de estadista, no sentido de garantir a harmonia entre as Forças da República.

Conforme apurou o Valor, a Fiesp procurou os jornais para reservar espaço para o anúncio na

Continue lendo no Blog da Cidadania.