Delegados da PF criticam lei antiterriorismo por ameaçar sindicatos e movimentos sociais

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Delegados de Polícia Federal correm contra o tempo para tentar barrar o projeto de lei 1.595 de 2019, que trata de ações de combate ao terrorismo. Eles têm feito lobby junto a deputados pedindo que os parlamentares votem contra a proposta. A votação na comissão especial, marcada para esta sexta-feira, 10, foi cancelada pelo deputado Evair Vieira de Melo (PP-ES), presidente do colegiado.

O trabalho de abordagem vem sendo coordenado pela Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (Fenadepol). A associação tem dito aos parlamentares que o PL apresenta ‘diversas inconstitucionalidades, invasão de atribuições dos órgãos da segurança pública e formas de atuação repressivas muito amplas e similares a um Estado de Sítio’. A avaliação é que as mudanças legislativas propostas pretendem transformar movimentos sociais e sindicais em terrorismo.

Uma coalizão de entidades que representam as Polícias Civil, Militar, Rodoviária e Federal chegou a enviar

Continue lendo no Blog da Cidadania.