Se jornalismo não se reinventar continuará refém de políticos como Bolsonaro

Foto: Alan Santos/PR

Por conta das lambanças armadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Dia da Independência creio ser uma boa oportunidade para nós jornalistas refletirmos sobre os espaços que as falas presidenciais ocupam nos noticiários. Não é um assunto simples de se conversar. Tanto que não é a primeira vez que falo nele e creio que não será a última. Até porque vou continuar aproveitando cada oportunidade que surgir para lembrá-lo. A sua complexidade vem do fato de que há muito tempo, ainda na época que os repórteres escreviam as matérias molhando uma pena de galinha no tinteiro, alguém organizou uma escala de valores das notícias nas redações determinando que as falas de presidentes da República ocupariam lugares nobres nos noticiários. E tem sido assim desde então. Dentro

Continue lendo no Observatório da Imprensa.