Independência das patroas ou morte das empregadas: a 'coach de sinhá' e as ruas neste 7 de setembro

Imagem: Reprodução/Jean-Baptiste Debret

Hoje é dia de muita gente comemorar a independência: a de não lavar os próprios pratos, a de não limpar a própria casa, a de almoçar fora aos domingos sem precisar cuidar dos filhos, a de não levar o próprio cachorro para fazer cocô. Dia de ir bravamente para as ruas faça chuva ou faça sol, com a certeza de que a roupa verde e amarela estará poucos dias depois cheirosa e bem passada na gaveta. Hoje é dia de pendurar a bandeira do Brasil na SUV e dar voltas pelas cidades gastando a gasolina de quase sete reais o litro. Aquele carro confortável, vistoso, onde cabem o marido do bem, a esposa do bem, os filhos do bem e a babá.

Para eles, exceto a última, hoje é mais um dia da independência.

Hoje também é

Continue lendo no The Intercept.