Indígenas ‘vão tomar até o Morumbi’: o terrorismo da Band pelo marco temporal

Ilustração: The Intercept Brasil

Vimos aqui no Intercept como o agronegócio está patrocinando as manifestações golpistas convocadas pelo presidente para o dia 7 de setembro. Vimos também como o agronegócio tem comprado anúncios disfarçados de textos jornalísticos nos grandes jornais para defender a tese do marco temporal sobre os territórios dos povos originários.

A tese foi criada pela bancada ruralista em 2009 e tem sido usada para defender a alteração das regras que definem a demarcação de terras indígenas. Trata-se de uma interpretação forçada da Constituição para atender aos interesses dos barões do agro. Pela tese, serão consideradas terras indígenas apenas aquelas que estavam em posse dos povos originários até o dia da promulgação da Constituição de 88, ignorando que muitas etnias não estavam mais nas suas terras naquele momento porque foram expulsas e massacradas. Essa interpretação da lei determina

Continue lendo no The Intercept.