Os filtros do Instagram que ajudam a escapar dos limites do mundo físico

A Noruega anunciou recentemente uma lei que proibirá que influencers e marcas postem nas redes sociais imagens que tenham sido retocadas com o uso de filtros (ou outras ferramentas de edição) sem avisar. A notícia, tornada pública em julho passado, foi celebrada por muitos como mais um passo na luta contra os padrões irreais de beleza personificados no chamado “rosto de Instagram”: nariz pequeno, olhos grandes, pele clara e lábios carnudos. Esse cânone tem importantes implicações raciais e culturais, pois impõe características eurocêntricas ao clarear o tom da pele como padrão e eliminar traços tradicionalmente étnicos, como narizes grandes e olhos rasgados. Também está por trás do que é conhecido como “dismorfia do Snapchat”: o desejo de se parecer com esses rostos digitais, o que levou ao aumento do número de intervenções cirúrgicas e tratamentos estéticos. De acordo com um estudo da Academia de Cirurgia Facial, Plástica e Reconstrutiva dos

Continue lendo no EL PAÍS Brasil.