Nilson Lage: uma vida corrigindo o rumo do ensino de jornalismo

Foto: Reprodução/@nilsonlage

Embora fosse uma referência, já nos anos 1980, para todos os cursos de jornalismo do Brasil, a partir de seus livros, Nilson Lage não teve uma vida fácil na academia. Nilson havia se tornado professor em 1970, na Universidade Federal Fluminense, e a partir de 1977 também na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Embora não possuísse ainda um diploma de graduação, pois havia abandonado o Curso de Medicina e só se graduou em Letras (Português-Russo) ao final daquela década (ao mesmo tempo em que fazia o Mestrado em Linguística), foi admitido nas duas universidades públicas como auxiliar de ensino porque, segundo ele, faltava no corpo docente de então quem soubesse escrever notícias para jornais. Já naquela altura, os cursos haviam se tornado de “Comunicação Social”, e estavam ocupados por acadêmicos de

Continue lendo no Observatório da Imprensa.