Ciência, Política e a Pandemia

Crédito: Pch.Vector/Freepik

Este artigo analisa as campanhas de desinformação como propaganda no Brasil e na Hungria entre janeiro e julho de 2020 [1]. Elas se baseiam em um roteiro comum de teorias da conspiração, adaptado ao contexto local, e que justificam o ataque às universidades, educação pública e instituições do sistema de ciência, tecnologia e inovação. Tal fenômeno não é recente, mas tais campanhas trouxeram consequências às políticas para a saúde da população durante a pandemia de Covid-19, confirmando o que a Organização Mundial da Saúde (OMS) chama de “infodemia“.

O roteiro comum das narrativas utiliza mensagens cuidadosamente elaboradas e dirigidas a vários segmentos de público-alvo, que se sobrepõem e se repetem ciclicamente, compondo o ecossistema de desinformação [2]. São direcionadas a grupos de afinidades que compartilham valores e

Continue lendo no Observatório da Imprensa.