A democracia e os moinhos de vento

Foto: Freepik

Num dos episódios de Dom Quixote, Miguel de Cervantes nos coloca ante um diálogo aparentemente insólito. Mais especificamente no Capítulo VII, nosso herói quixotesco aponta uma possibilidade ao seu “escudeiro”: “Vê ali, amigo Sancho Pança, onde se descobrem trinta ou mais desaforados gigantes, com quem penso fazer batalha, e tirar-lhes a todos a vida, e com cujos despojos começaremos a enriquecer; esta é boa guerra, e bom serviço faz a Deus quem tira tão má raça da face da terra.” Cético, Sancho Pança questiona: “Quais gigantes?” E recebe como resposta: “Aqueles que ali vês, de braços tão compridos, que alguns os têm de quase duas léguas.” Sancho então sugere: “Olhe bem Vossa Mercê, que aquilo não são gigantes, são moinhos de vento; e os que parecem braços não

Continue lendo no Observatório da Imprensa.