Dança das cadeiras agrada Centrão e tira Ramos de cena. Por Denise Assis

General Ramos (Foto: Anderson Riedel/PR)

Originalmente publicado por JORNALISTAS PELA DEMOCRACIA

Por Denise Assis

O governo Bolsonaro está na lona. Sem partido que lhe dê sustentação, escora-se no Centrão e na caneta, para se arrastar até 2022, quando pretende usar da visibilidade do cargo para se reeleger. Até lá – se chegar lá -, seu governo vai sendo devorado pelas bordas, com a voracidade que só esta parcela de políticos “desideologizados” sabe manejar. Assim, vai entregando anéis para não perder os dedos. E lá se foi mais um, ao desalojar o ministro da Casa Civil, o general Luiz Eduardo Ramos, que ruma para a Secretaria- Geral, hoje ocupada por Onyx Lorenzoni, para dar poderes a Ciro Nogueira (PP-PI). A dança das cadeiras, porém, vai além de um agrado ao Centrão.

Por conveniência, neste momento em que se discute as cambalhotas da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e por prudência, é

Continue lendo no Diário do Centro do Mundo.