Bolsonaro, Fidel e Covid-19: como Cuba superou o Brasil na corrida das vacinas

Publicado originalmente em Repórter Brasil

Cuba foi o primeiro país a aplicar doses “made in” América Latina, superando o Brasil e Argentina na produção local de matéria-prima. Subcontinente está envolvido na fabricação de 147 milhões de doses, ou apenas 4,3% das vacinas produzidas no mundo

“Bloquear um país e impedir que cheguem equipamentos médicos e medicamentos é um crime”, afirmou Fidel Castro durante visita à Fiocruz, em 20 de março de 1990 (Foto: Fiocruz)

O presidente cubano Fidel Castro visitou, em março de 1990, a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Rio de Janeiro, para conhecer os laboratórios brasileiros de vacinas. Foi recebido com aplausos pelos servidores e posou para fotografias, antes de discursar sobre os efeitos do embargo americano ao sistema de saúde cubano. “Se surge um medicamento novo, nosso país não pode adquirir”, protestou.

Na visita às instalações, ele queria saber se os laboratórios da Fiocruz eram mais avançados que os de

Continue lendo no Diário do Centro do Mundo.