Incra deve retomar análise de reforma agrária travada por governo Bolsonaro

O Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) deverá retomar a análise para fins de reforma agrária de uma propriedade rural localizada em Monteiro Lobato, no interior de São Paulo. Na decisão, a qual a Folha de S. Paulo teve acesso, o TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) apontou razões políticas para interrupção do processo, que foi travado durante o governo do presidente Jair Bolsonaro.

O processo foi aberto em 2016 pelo herdeiro da propriedade, depois que o movimento sem terra Acampamento Dirceu “Didi” Travesso invadiu a fazenda. Segundo os ativistas, o local estava abandonado. O grupo quer cultivar a terra para subsistência.

Dois anos depois, em 2018, o Incra tinha se mostrado disposto a incluir a fazenda no PNRA (Programa Nacional de Reforma Agrária). Contudo, no ano passado, o instituto mudou de ideia.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding:


Continue lendo no Poder 360.