Advogado de Bolsonaro já disse que voto impresso é desculpa de perdedor; assista

O advogado para assuntos eleitorais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Admar Gonzaga, afirmou em junho de 2018 que o voto impresso é uma desculpa utilizada por quem perdeu as eleições. O presidente defende o retorno da impressão dos votos.

Na época ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gonzaga foi questionado em um seminário na Câmara dos Deputados sobre como fazer escrutínio público da votação. Marcos Mariane, que foi apresentado como eleitor, defendeu a lei do voto impresso em seu questionamento. O então ministro afirmou que o voto impresso é um “retrocesso“.

A sua pergunta já foi respondida pelo Supremo Tribunal Federal (…) que entendeu que a contagem de voto que está se pretendendo, pelo retorno ao retrocesso, ao voto contado, ao mapismo, ofende o princípio democrático e soberano do sigilo do voto. E, dessa forma, [o STF] entendeu ser inconstitucional o dispositivo que causa esse retrocesso. Por quê? Naturalmente verificamos que


Continue lendo no Poder 360.