Regionalismo latino-americano: de confusão à diluição

Foto: Cancillería del Ecuador/Wikimedia

Alba (Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América, nascida em 2004)? Grupo de Lima (fundado em 2017)? ProSul (Fórum para o Progresso da América do Sul, criado em 2019)?

Unasul (União das Nações Sul-Americanas, constituída em 2008)? Tantas figuras integracionistas latino-americanas — entre outras — ontem, no topo do cartaz, hoje memórias invalidadas.

A América Latina continua a ser o que sempre foi: uma entrada de dicionário enciclopédico. Entrada incontestada assim como discutível. Vamos nos limitar aqui a recordar a existência de definições concorrentes: América Ibérica, América Espanhola, Hemisfério Ocidental, Novo Mundo, Abya Yala. Cada ambição geopolítica particular produziu um regionalismo com fronteiras divergentes. Ainda mais que, por vezes, essas concepções continentais se cruzam com outras mais modestas com horizontes sub-regionais: América caribenha,

Continue lendo no Observatório da Imprensa.