Servilismo de Aras a Bolsonaro cria até o “obrigatório sem obrigatoriedade”

Continue lendo no Reinaldo Azevedo.