Os revolucionários da vez

Com uma aversão notória a intelligentsia liberal que sempre reinou em Washington pelo menos desde a Segunda Guerra Mundial, de quem pretende se apropriar da evidente hegemonia cultural, foi fundamental na improvável vitória de Donald Trump (2016) e dos, ainda desconcertantes, Brexit e o escândalo da Cambridge Analytica. Claro, Bannon esteve também presente na, ainda pouco compreendida, campanha de Jair Bolsonaro à presidência da República

Veja mais de Jorge Henrique Cartaxo

Continue lendo no Os Divergentes.