Dias de riso e de pranto

Com a pandemia, muitos netos perderam seus avós. Isadora Pereira, vestibulanda de medicina, temeu pela vida da avó dela, Maria Rodrigues, de 80 anos e diabética. Vacinada com duas doses, Maria contraiu Covid – e cinco dias depois de internada, voltou para casa. Isadora conta os dias de tensão diante da disseminação da doença e da dificuldade para estudar para o Enem. Sabe que a vacina foi decisiva para salvar sua avó. E lembra o dia em que um colega de cursinho chorava a morte do pai, de 50 anos e ainda não vacinado.

window.uolads && window.uolads.push({ id: “banner-300×250-area” });

(Em depoimento a Lianne Ceará)

 

Quando a pandemia começou e minhas aulas do cursinho pré-vestibular foram suspensas, voltei para Limoeiro do Norte, interior do Ceará, cidade onde nasci e cresci. Na minha cabeça, dentro de quinze dias eu voltaria para Fortaleza, onde estudo. Eu pensava

Continue lendo na Revista Piauí.