Para não atrasar importação de insumos, executivo da SinoVac fez apelo para o Governo Bolsonaro parar de atacar a China

Em maio deste ano, especificamente duas semanas após Jair Bolsonaro atacar novamente a China, a farmacêutica chinesa SinoVac fez um apelo para que houvesse uma mudança de posicionamento do Governo Bolsonaro. A medida seria melhorar o relacionamento entre os Brasil e China e principalmente para garantir o envio de insumos ao Instituto Butantan para a produção da vacina CoronaVac contra Covid-19.

De acordo com O Globo, a informação está no documento sigiloso do Itamaraty que foi enviado à CPI da Covid. O ofício é uma reprodução da carta enviada pela Embaixada do Brasil na capital da China ao Ministério das Relações Exteriores (MRE) em Brasília. Nela, existe a citação de uma reunião ocorrida em 19 de maio em Pequim, com a participação de diplomatas e representantes brasileiros com o presidente da SinoVac, Weidong Yan.

“O propósito da reunião foi tratar do processo de suprimento das vacinas contra a COVID-19


Continue lendo no O Cafezinho.