Breve manual da indisciplina e da anarquia: discurso do tenente Asdrúbal Gwaier Azevedo no Clube Militar

Por Portal Bonifácio

A impunidade do general Pazuello remete à memória dos piores momentos de indisciplina, anarquia e desrespeito à hierarquia nos meios militares. 

O discurso do jovem tenente Gwaier, em 1922, e os apartes repletos de insolência e ofensas recebidas e assacadas contra seus superiores e colegas devem ter efeito educativo para que não se reproduzam, segundo observação do filósofo Ortega y Gasset, para quem o passado não nos serve para dizer o que fazer hoje, mas para dizer o que não fazer.

(transcrito do livro História Militar do Brasil, do historiador Nelson Werneck Sodré)

“Ten. Gwaier – Em defesa do Exército, desse Exército enxovalhado pelo presidente da República, desse Exército que V. Exa., general Setembrino, de modo algum representa. (Trocam-se apartes).

Marechal Presidente – Atenção. Quem está com a palavra é o senhor tenente Gwaier.

Ten. Gwaier – O sr. Boanerges já havia declarado, antes de abrir a


Continue lendo no O Cafezinho.