Aumento de ataques a jornalistas acende alerta sobre estratégia de segurança

Foto: Estadão/Reprodução

Era um dia normal na rotina do repórter Pedro Duran, da CNN Brasil. Na pauta, a cobertura de um ato pró-Bolsonaro, no sábado, 22 de maio. Coberturas de manifestações sempre exigem cautela, mas a CNN Brasil não costuma estar no rol dos veículos de imprensa que são alvo de ataques do presidente, então a possibilidade de ser hostilizado não estava no horizonte. Só que na contramão das probabilidades, um grupo cercou o jornalista. As vozes gritavam “lixo” em coro contra o repórter, que foi escoltado pela PM até o carro.

Os ataques aos jornalistas em manifestações são reincidentes e independem se o movimento é de esquerda ou de direita. Não é de hoje que manifestantes atacam os mensageiros. Nos protestos de 2013, levantamento da Abraji mostra o registro de pelo

Continue lendo no Observatório da Imprensa.