Militares insaciáveis

Era abril de 2018 e Jair Bolsonaro ainda vivia no condado da Barra da Tijuca, mas os militares já davam início à manobra administrativa que resultou na seguinte festança: graças a uma portaria do Ministério da Economia publicada em abril deste ano, mil servidores do Executivo, alguns do alto escalão, como o presidente da República, o vice-presidente e pelo menos três de seus ministros militares, receberão, a partir de maio, salários acima do teto constitucional de 39 200 reais. No caso do general Luiz Eduardo Ramos, da Casa Civil, seus rendimentos mensais devem superar 60 mil reais, somando-se a aposentadoria como general de exército, última patente a ser alcançada, e o salário de 30 mil reais como ministro de estado.

window.uolads && window.uolads.push({ id: “banner-300×250-area” });

A estratégia contou com o empenho máximo do Ministério da Defesa e teve início logo depois que o Tribunal de

Continue lendo na Revista Piauí.