Na pandemia, desligamentos por morte de recepcionistas da área da saúde cresceram mais que os de médicos

Além dos médicos e enfermeiros, a linha de frente de combate à Covid se estende a muitos outros profissionais – seguranças, porteiros, motoristas de ambulâncias e recepcionistas que todos os dias se expõem ao risco de serem contaminados pela doença. Os dados do Caged, do Ministério da Economia, mostram que entre recepcionistas da área da saúde, por exemplo, a média mensal de desligamentos por morte cresceu mais que entre médicos.

Entre os recepcionistas a média mensal aumentou 74% com relação ao período anterior à pandemia, de janeiro de 2015 a março de 2020. Já o número dos médicos cresceu 66%.  Para cada dez médicos que morriam antes da pandemia, passaram a morrer 16,6; entre os recepcionistas do setor de saúde, a cada dez que morriam antes da pandemia, passaram a morrer 17,4.

O contato destes profissionais com os pacientes é inevitável e, assim como os que

Continue lendo na Revista Piauí.