“É pouco, mas é meu”

Não são tão poucos que permitam à direita convencional aspirar a aparecer com outra solução, nem tantos que possam manter o país na insensatez em que está mergulhado. A quantidade de manifestantes bolsonaristas pró-golpe que se reuniu hoje em algumas capitais mostra que, petrificada pelo ódio fundamentalista e por um fanatismo religioso medieval, mostra que, […]

O post “É pouco, mas é meu” apareceu primeiro em TIJOLAÇO.

Continue lendo no Tijolaço.