Rir é o remédio

Foto: Alan Santos/PR

Se não podemos nos alegrar com 115 pedidos de impeachment mofando no Congresso, pelo menos temos alegria retroativa ao ano 44 a.C quando Júlio Cesar foi cercado por 60 senadores receosos de que o ditador romano se perpetuasse no poder e o apunhalaram com 23 facadas. Se não imitar, pelo menos podemos visitar o museu que a prefeita de Roma, Virginia Raggi, vai instalar no local do assassinato, Largo di Torre Argentina.

Porque de pequenas alegrias vamos vivendo nessa pandemia política, econômica, sanitária. Apesar de saber que, se a ciência não fosse negada, três de cada cinco brasileiros que morreram podiam não ter morrido segundo o neurocientista Miguel Nicolelis, foi um conforto ver a foto vencedora do World Press Photo Award tirada na casa de repouso Vida Boa, em

Continue lendo no Observatório da Imprensa.