O ‘anti-Brasil’!

(Foto: Marcelo Camargo/Fotos Públicas)

O jornalista e dramaturgo Nelson Rodrigues cunhou a expressão ‘anti-Brasil’, quando integrantes do grupo paramilitar Comando de Caça aos Comunistas invadiram os camarins do espetáculo Roda Viva — de autoria de Chico Buarque e encenado pelo diretor José Celso Martinez Corrêa —, destruindo cenários e agredindo atores e atrizes. Era janeiro de 1968, ano do fatídico AI-5. O ‘anti-Brasil’ no qual Rodrigues se referia era aquele da interdição das falas discordantes, da perseguição sistemática a tudo que pudesse corroer os ‘bons costumes’ e a ordem ditatorial reinante. Hoje, vivemos num país comandado por militares do oficialato (e são milhares, tanto da ativa quanto da reserva, em diferentes escalões ministeriais e secretarias), essa sim, a verdadeira ‘ala ideológica’ de sustentação do governo Bolsonaro.

Destarte, a derrocada civilizatória em que

Continue lendo no Observatório da Imprensa.