“Temos de cobrar dos governos vacina e informação”

Até sete meses atrás, o físico paulistano Vitor Mori tinha menos de cem seguidores no Twitter. O número saltou para os atuais 34 mil, graças aos tuítes que publica com dicas práticas de prevenção contra a Covid-19. A ideia surgiu quando o pesquisador da Universidade de Vermont, nos Estados Unidos, visitou o Brasil em setembro e outubro do ano passado. “Fiquei chocado vendo como os protocolos estavam desatualizados. Havia muito foco no uso de álcool em gel e quase nada sobre as máscaras PFF2 (padrão brasileiro equivalente ao das N95 americanas), obrigatórias no transporte público e no comércio em países da Europa”, conta o físico de 29 anos. Com mestrado e doutorado em engenharia biomédica pela USP e membro do Observatório Covid-19 BR, ele conta como se tornou divulgador científico, participando de lives e entrevistas sobre o tema.

window.uolads && window.uolads.push({ id: “banner-300×250-area” });

Em depoimento a

Continue lendo na Revista Piauí.